segunda-feira, 14 de abril de 2008

Magna Mater

"A diferença é maior do que pensava. Até mesmo aqueles que trabalham a terra, quando são cristãos, adotam um modo de vida que está muito distanciado desta terra; dizem que seu deus lhes deu o domínio sobre todos as coisas que crescem e sobre todos os animais dos campos. Ao passo que nós, moradores dos montes e pântanos, florestas e campos distantes, sabemos que não é nosso o domínio da natureza, mas sim ela que nos domina, desde o momento em que a luxúria se agita nas virilhas de nossos pais e o desejo no ventre de nossas mães para nos gerarem, sob o domínio dela, até nosso crescimento nesse ventre e nosso nascimento no devido tempo, mesmo a vida das plantas e animais que tem de ser sacrificados para nos alimentarem, vestirem e dar-nos forças para vivermos... Tudo isso está sob o domínio da Deusa que se faz sentir, dela que não é apenas a Senhora Verde da terra frutífera, mas também a Senhora Negra da semente oculta sob a neve, do corvo e do gavião que trazem a morte aos vagarosos, e dos vermes que trabalham em segredo para destruírem aquilo que já cumpriu seu tempo, até mesmo Nossa Senhora da ruína e destruição e morte, no fim..."

em As Brumas de Avalon, A Grande Rainha, de Marion Z. Bradley



Na nossa sociedade, é muito comum a mentalidade de que a terra nos pertence, tanto pela sociedade cristã - Deus deu o domínio sobre a terra e seus animais ao homem - quanto pela sociedade patriarcal e burguesa que vê em a terra simplesmente como bem material. As pessoas não reparam que, na verdade, nós apenas jogamos, quem dita as regras é Ela.

Nós, como mulheres e homens da nova era que se aproxima, devemos honrar a terra e a todos os seres que nela vivem. Devemos resgatar em nossa consciência a sacralidade da Deusa.



“Ouça Seu canto, pois Ela canta em tudo que Há”.

2 comentários:

Giul disse...

E essa nova era já está mais próxima do que muita gente pewnsa. Diz uma das professias que um dos marcos seria a ascenção de uma religião e a queda de outra. E o que estamos vendo?!

Queria postar sobre isso no teu blog, posso?!

Priscila Paixão disse...

Essa é uma questão delicada, acho que a queda da grande religião "ocidental" vai se dar também pelo fato da "união" das outras religiões... isso sim seria uma "ascenção" mas não de uma religião, mas sim de uma nova era... Porém, antes disso deve haver a transformação.

"como sekhmet ela transformará a terra, e como hator a governará"

lembrando que hator é a deusa do amor egípcia, e sekhmet é a deusa da destruição.

Mas vai ser interessante sim, podemos tentar!!